Evitar Que Um Animal Desapareça

Infelizmente, há factores externos que não são controláveis. No entanto, se tentar seguir o melhor que puder as sugestões que se seguem, estará a reduzir significativamente a probabilidade de o seu animal desaparecer.

  • Nunca deixe o seu animal passear sozinho no exterior! As coisas correm sempre bem até um dia... Fora de casa, o seu animal ficam exposto a inúmeros perigos reais, tais como atropelamento, doenças, maus-tratos, rapto, envenenamento, etc. Além disso, pode desorientar-se ou seguir um potencial parceiro e não conseguir regressar a casa. Igualmente importante é não permitir que gatos tenham acesso a telhados ou quintais adjacentes. É muito comum gatos cairem por um buraco/telha ou entrarem numa cave/arrecadação ou casa desabitada de onde depois não conseguem sair, acabando por morrer lentamente por desidratação ou fome. Infelizmente, é este o fim agonizante de muitos gatos que saem sozinhos. Inteire-se de todos os factos e das graves consequências aqui.
  • Passeie sempre o seu cão pela trela! Quando sair para passear o seu cão ou ir ao veterinário, leve-o sempre pela trela, segurando-a firmemente com a mão. Mesmo que o seu cão seja obediente, o instinto está sempre presente. Entre outros imprevistos, o seu cão pode escapar em perseguição a outro animal ou assustar-se com algum ruído forte (como foguetes ou o motor de uma mota) ou com outro animal. Um cão assustado pode facilmente escapar ao seu controlo e fugir. Dê preferência a uma trela sólida e resistente (se possível, com 2 a 2,5 m de comprimento para que o seu animal tenha alguma liberdade de movimentos, mas seja fácil de controlar). Não é aconselhável usar uma trela extensível — além de ser menos resistente, se a deixar cair, o seu animal pode assustar-se e afastar-se, e depois o barulho contínuo da pega a arrastar no chão pode fazê-lo correr ainda mais assustado até sair de vista.
  • Certifique-se de que o espaço do seu animal está bem murado/vedado! Se tiver um espaço exterior, assegure-se de que o muro/vedação tem altura suficiente para impedir a saída do seu animal (é recomendável uma altura igual ou superior a 2 metros). Não mantenha o seu animal acorrentado. Para saber o que há de errado em manter um animal acorrentado, consulte o nosso recurso Liberta-me.org.
  • Gatos à Janela Tenha cuidados extra com portas, portões e janelas! Muitos casos de desaparecimento de animais são causados por uma simples distracção. Se tiver gatos, é essencial ter cuidados redobrados com portas, janelas e varandas. Infelizmente, as quedas de gatos são muito frequentes: basta um gato assustar-se ou tentar apanhar um pássaro ou uma mosca para se desequilibrar e cair, muitas vezes fatalmente. Por isso, nunca deixe o seu gato sem supervisão com acesso a uma divisão que tenha a janela/varanda aberta. Em caso de necessidade, deixe apenas uma frincha de poucos centímetros aberta e certifique-se de que o seu gato não a consegue abrir mais. Em alternativa, pode optar pela aplicação de grades protectoras, painéis de rede mosquiteira e até mesmo rede específica para terraços e varandas. Se o seu animal ficar numa área com portão para a rua, certifique-se de que o mesmo não pode ser aberto do exterior por estranhos. Por outro lado, se tiver de fazer obras dentro de casa ou no quintal e houver o risco de uma porta ou portão ficar aberto, mantenha o seu animal numa área segura da qual tenha certeza de que ele não conseguirá sair. Se o seu cão tiver o hábito de fugir aquando da abertura do portão para entrada/saída da sua viatura, analise instalar um portão intermédio. Em alternativa, feche primeiro o seu animal em casa, saia com o carro e entre depois a pé para deixar o seu animal seguro no jardim. Ao chegar a casa, efectue o procedimento inverso.
  • Esterilize o seu animal! Quer seja macho ou fêmea, um animal esterilizado tem muito menos tendência a fugir para responder ao instinto de acasalamento. Em caso de desaparecimento, um cão ou gato macho esterilizado corre menos riscos, pois não perseguirá fêmeas no cio pelas ruas e não se envolverá em brigas com outros machos por causa de fêmeas. Por outro lado, mesmo que uma gata ou cadela esterilizada desapareça, a esterilização protege-a do assédio agressivo dos machos para com uma fêmea no cio e do enorme desespero de ter uma ninhada na rua, sem abrigo nem alimento suficiente para manter as crias; estando esterilizada, a sua cadela/gata "só" terá de se preocupar em cuidar dela própria e a probabilidade de sobreviver às provações das ruas enquanto não é encontrada é muito maior. Outra vantagem da esterilização é que os animais de raça definida esterilizados deixam de ser apetecíveis aos "amigos do alheio" que procuram e mantêm animais de raça para procriação e venda das crias. A esterilização oferece ainda outras vantagens ao seu animal, como uma vida mais longa e saudável. Para mais informações sobre a esterilização, consulte o nosso recurso Esteriliza-me.org. Informe-se junto das associações da sua zona sobre a existência de veterinários com esterilizações de qualidade a preços mais acessíveis (pode consultar aqui uma lista de associações nacionais).
  • Em alturas de trovoada ou fogo-de-artifício, mantenha o seu animal no interior! Muitos animais têm medo de trovoada, fogo-de-artifício e outros ruídos fortes, podendo fugir apavorados e sem rumo. Nestas ocasiões, coloque o seu animal num local seguro dentro de casa e tente acompanhá-lo de perto.
  • Seja extremamente vigilante em situações novas e não familiares! Se tiver adoptado o seu animal recentemente, se tiver mudado de casa ou se o seu animal tiver de ficar temporariamente num local que lhe é desconhecido (por exemplo, em casa de amigos ou familiares), certifique-se de que o seu animal fica numa área segura da qual não consiga fugir. As fugas pós-adopção são demasiado frequentes. Por favor, tenha ainda mais cuidado nas primeiras semanas de adopção de um animal. O seu animal precisa de tempo para se adaptar ao novo ambiente e às pessoas.
  • Gato Numa Transportadora Transporte sempre o seu gato dentro de uma transportadora segura! Sempre que sair com o seu gato (para ir ao veterinário ou em viagem, por exemplo), leve-o dentro de uma transportadora de qualidade e certifique-se sempre de que a mesma está bem fechada (porta e fixações laterais), abrindo-a apenas quando já estiver numa divisão fechada. Em viagem, coloque a transportadora no banco de trás, presa com o cinto de segurança. Nunca transporte o seu gato ao colo nem solto dentro de uma viatura. Ao sair do seu ambiente, um gato muito facilmente se assusta com ruídos ou odores estranhos, com outras pessoas ou outros animais. Um gato assustado é dificilmente controlável e pode fugir e/ou ferir pessoas e outros animais. Infelizmente, o mercado tem sido invadido de transportadoras inseguras de péssima qualidade. Certifique-se de que adquire uma transportadora segura e robusta de qualidade.
  • Não deixe o seu animal acessível a terceiros! Há cada vez mais relatos de animais que são raptados para serem explorados para procriação, venda ou "lutas" de cães. Nunca deixe o seu animal preso a um poste ou dentro do carro enquanto vai às compras. Se tiver um quintal/jardim/pátio com muros para a rua, evite deixar o seu animal sozinho nesse local enquanto não está ninguém em casa e muito menos durante a noite.
  • Identifique o seu animal! Esta simples medida poderá ser a solução no caso de o seu animal desaparecer. Identifique o seu animal com uma medalha visível com contacto telefónico (dois números de telefone, de preferência) e peça ao veterinário que implante um microchip de identificação no seu animal (esta medida já é obrigatória por lei para cães nascidos a partir de 1 de Julho de 2008). No caso de gatos, é essencial que a coleira tenha fecho de segurança ou seja pelo menos elástica/extensível, para diminuir o risco de serem estrangulados ou ficarem com algum membro preso na coleira. Se a coleira tiver um guizo, retire-o — os gatos são animais que gostam de se movimentar sorrateiramente e o barulho do guizo, além de os denunciar sempre que se movem (inclusive a predadores, caso consigam fugir de casa), é irritante para os seus ouvidos sensíveis. Depois de implantado o microchip, contacte a base de dados de microchips em que o seu animal foi registado, SIRA ou SICAFE, para se certificar de que o registo já se encontra no sistema (no caso do SIRA, pode confirmar directamente a inscrição aqui). Há relatos de registos que demoram vários meses a ser introduzidos ou que nunca chegam a ser introduzidos, por isso é vital que se certifique de que o número de microchip do seu animal está na base de dados.
  • Cão Com Peitoral e Trela Em vez de prender a trela a uma coleira, prenda-a a um peitoral! Sempre que possível, para passear o seu animal, dê preferência a um peitoral (arnês). Um animal assustado poderá libertar-se facilmente de uma coleira. Por outro lado, coleiras justas são muito perigosas para os animais que se encontrem em crescimento (quando a coleira não é afrouxada à medida que o animal vai encorpando, a mesma torna-se um grave problema, podendo entranhar-se no pescoço e sufocar o animal. Recomendamos que utilize um peitoral para passear o seu animal e lhe coloque uma coleira frouxa com a medalha de identificação. Assim, se o seu animal eventualmente conseguir rebentar ou libertar-se do peitoral, permanecerá com identificação na coleira. A medalha de identificação nunca deverá estar no acessório que liga à trela.
  • Verifique o compartimento do motor da sua viatura! Se o seu gato tiver acesso à garagem, antes de sair, abra o capô e certifique-se de que o mesmo não está no interior. Embora não pareça um local nada confortável, é comum os gatos aninharem-se no compartimento do motor.
  • Tenha cuidados redobrados quando a sua cadela ou gata estiver no cio! Quando está no período de cio, uma fêmea tenta procurar um macho e o risco de fuga ou desaparecimento é muitíssimo maior (bastará um segundo de desatenção para a sua cadela ou gata fugir). Jamais deixe uma fêmea no cio passear sozinha ou sem trela. Além dos perigos acrescidos que a fará correr, estará também a permitir que ela seja engravidada, com o consequente agravamento da já elevadíssima população de animais. Sabia que um gato pode detectar as feromonas produzidas por uma gata no cio até cerca de 1,5 km e que um cão pode detectar as feromonas de uma cadela no cio até cerca de 5 km? Os machos fazem todos os possíveis para chegar a uma fêmea no cio, inclusive saltando janelas, portões ou vedações. Para não contribuir para fugas de machos, o mais seguro para todos seria fazer passeios de trela muito breves (ou evitá-los de todo) quando uma fêmea está no cio mas, como isso nem sempre é praticável ou desejável, a esterilização da sua cadela ou gata é a medida mais responsável e protectora a tomar. Se não a puder ou quiser esterilizar, encontra aqui informações sobre como detectar quando uma fêmea está no período de cio.
  • Cão IdosoTenha cuidados redobrados com animais seniores ou com incapacidades ou necessidades especiais! Os animais com faculdades de audição ou visão debilitadas ou inexistentes encontram grandes dificuldades em sobreviver às provações e perigos da rua, particularmente ao risco de atropelamento. De modo idêntico, os animais com necessidade de medicação regular ou de ração específica, podem não conseguir suportar a falta de tratamento e de alimentação adequada. É fundamental que a segurança destes animais esteja sob constante vigilância, pois, em caso de desaparecimento, poderá não ser possível localizá-los com a rapidez necessária.
  • Tenha especial atenção durante viagens! Tenha cuidado redobrado nas viagens com animais. Nesses casos, o ideal seria colocar o seu animal dentro de uma transportadora. Além de o seu animal poder saltar da janela do veículo sem que se aperceba, em caso de acidente, um animal à solta dentro do veículo será mais facilmente atirado para fora e/ou fugirá mais facilmente do local devido ao susto. Em estadias de férias, certifique-se de que o seu animal terá um lugar seguro e apropriado para ficar. A recuperação de animais desaparecidos longe do seu ambiente é bem mais difícil e trabalhosa.
  • Tenha fotografias actualizadas do seu animal! Na eventualidade de o seu animal um dia desaparecer, procure ter sempre uma fotografia actualizada do seu animal. Ela poderá ser essencial para que o animal seja rapidamente identificado e localizado.